Marcelo Santos quer bicicletas elétricas compartilhadas para servidores e deputados

Nos tempos em que o Espírito Santo e o planeta buscam soluções urgentes para a melhoria da mobilidade urbana, as bicicletas elétricas são, ainda, uma alternativa pouco conhecida de transporte individual. Econômicas e ecologicamente corretas, sem emitir poluentes, também podem ser usadas da maneira tradicional, impulsionadas por pedaladas, tirando o usuário do sedentarismo.

De olho neste cenário e seguindo tendência mundial, o deputado estadual Marcelo Santos teve sua emenda ao Orçamento de 2019 da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) aprovada na última segunda-feira (14) quando realocou recursos para que a Casa compre bicicletas elétricas e convencionais.

A proposta apresentada pelo deputado é para que seja implantado um sistema de compartilhamento de bicicletas (bike sharing) que irá disponibilizar os dois tipos de equipamentos, os tradicionais e os elétricos, conhecidos também como ebikes, tanto para servidores como para parlamentaresEssas se diferenciam das tradicionais por possuírem bateria, dando ao ciclista a opção de não precisar pedalar, diminuindo o esforço físico e o cansaço. A economia também será vantagem para o servidor, que não precisará gastar com combustíveis, impostos ou estacionamento.

“O principal benefício da bicicleta elétrica com relação à bicicleta normal é sua praticidade. Ela permite usar um veículo praticamente não poluente para circular pela cidade de forma prática e rápida. Para quem tem limitação física ou não quer chegar suado ao trabalho, a bicicleta elétrica cumpre uma função especial na mobilidade urbana, criando uma independência com relação aos carros e à lotação do transporte público”, avaliou o parlamentar.

Para incentivar um consumo e um pensamento ecossustentável, alinhado a alicerces das smart cities, Marcelo Santos, autor do emenda, diz que espera muito mais que praticidade e economia nos resultados e que torce para que a iniciativa seja exemplo para os mais diversos Órgãos Públicos. “Já foi comprovado que o uso de bicicletas além de ser uma forma de contribuir para um meio ambiente menos poluído, também auxilia na saúde dos usuários, e é isso que nós também queremos. Agora é continuar o trabalho para que em breve o sistema comece a funcionar na Casa”, conta o parlamentar.

Servidores da Assembleia também podem ganhar Centro de Vivência
Além do sistema de compartilhamento de bicicletas, outra proposta do deputado Marcelo Santos que também foi aprovada na Assembleia, prevê a construção de um Centro de vivência para os servidores da Casa. O objetivo é criar um espaço para o convívio coletivo, onde os trabalhadores poderão interagir com seus colegas, além de fugir do tumulto dos gabinetes para recarregar as energias e começar mais uma jornada de trabalho. O projeto pretende oferecer atividades lúdicas, com o objetivo de desenvolver a criatividade, a comunicação, o relacionamento interpessoal, o trabalho em equipe e a habilidade de lidar com imprevistos do dia a dia.

"Temos que oferecer uma estrutura para o servidor relaxar nos momentos de folga, após o almoço e que possa se relacionar com outros servidores e com parlamentares para que haja um intercâmbio de experiências e informações para, ao retomar suas atividades, esteja mais animado e satisfeito para desemprenhar suas atividades", avaliou Marcelo Santos.

Frota
Para reduzir gastos do Orçamento do Legislativo Capixaba, Marcelo Santos também vai propor à nova Mesa Diretora um modelo de transporte mais ágil, econômico e moderno. "Hoje em dia quase todo mundo já é familiarizado com smartfones e os aplicativos de transportes já se mostraram econômicos, práticos e eficientes. Vamos sugerir que a Assembleia utilize essa modalidade de transporte para que o Setor Administrativo possa se locomover em serviço, eliminando a necessidade de veículos alugados para esse fim, evitando ociosidade de veículos", comentou o parlamentar que ainda complementou:

"Não basta ser um sistema de transporte por aplicativos. Vamos propor que o vencedor do contrato utilize carros híbridos em, pelo menos, 50% da frota para atender a Assembleia. Mais para frente estudamos a possibilidade de trocar os carros dos parlamentares para que também sejam híbridos, emitindo menos poluentes e gastando menos combustível fóssil", finalizou.

 

Assessoria de comunicação

Data de Publicação: segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

LEIA MAIS...

Representantes da Assembleia, Crea e Dnit se reúnem para evitar paralisação de obras da BR 262
Revisa Ales compila mais de 5.500 leis
“Temos que submeter o TCU aos mesmos critérios e à mesma régua a que está submetida a administração pública”, defende Marcelo Santos