Laudos apontam falta de manutenção em sete pontes e viadutos da Grande Vitória

Serra e Viana apresentam piores cenários. Grupo de Trabalho vai elaborar parâmetros de execução, manutenção fiscalização de obras públicas

Em reunião extraordinária, a Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Coinfra-ES) recebeu os laudos das vistorias feitas, em parceria com engenheiros da Associação de Engenharia Civil do Estado (Abenc-ES), a pontes e viadutos localizados em Cariacica, Serra e Viana.

De todas as sete estruturas visitadas, os piores cenários verificados pelos engenheiros são: a ponte que liga Cariacica e Viana, entre os bairros São Francisco e Vila Bethânia; a ponte sobre o Rio Bubu, em Porto de Cariacica, na Rodovia José Sette; e a ponte de Jacaraípe (veja situação de cada uma das estruturas abaixo e nos relatórios da Abenc-ES).

De acordo com o vice-presidente da Abenc-ES, Jaime Veiga, não há risco iminente de colapso de nenhuma estrutura, mas necessita cuidado e planejamento de manutenção, já que, até então, não foi dada a devida atenção a essas estruturas. “Manutenção é algo necessário, mas, antes disso, precisamos que haja todo um planejamento realizado por profissionais qualificados e que haja fiscalização no cumprimento desse projeto executivo e, depois, sejam feitas as manutenções para que não tenhamos cenários como esses que apresentamos aqui”, comentou Veiga.

Após a apresentação dos laudos, o deputado estadual Marcelo Santos, presidente da Coinfra, adiantou que o material produzido será enviado ao Departamento de Estradas de Rodagem do Estado (DER-ES), à Eco 101 – concessionária que administra a BR 101/Rodovia do Contorno -  e à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) – agência que regula as concessões rodoviárias. “Vamos mostrar a necessidade dessas intervenções, elencando as prioridades do que foi constatado e, na sequência, seguiremos acompanhando as ações e faremos vistorias em diferentes obras espalhadas por todo o Estado”, adiantou o parlamentar.

“A falta de manutenção é um problema cultural em nosso país, seja em obras públicas como também em particulares, por isso, formamos um grupo, coordenado pelo governador Renato Casagrande, liderado por mim, onde construiremos uma proposta que visa estabelecer normas de execução, fiscalização e manutenção das obras públicas do Estado do Espirito Santo, para por fim a paralisação desnecessária das obras públicas no Estado”, disse Marcelo Santos.

Além do Poder Legislativo, o Grupo de Trabalho contará com representantes do Poder Executivo Estadual através do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Secretaria de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop), Secretaria de Controle e Transparência (Secont), da indústria da construção civil através do Sindicato da Indústria da Construção Pesada no Estado do Espírito Santo (Sindicopes) e Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado (Sinduscon), entidades de engenheiros como a Associação Brasileira de Engenheiros Civis (Abenc), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) e Sindicato Nacional das Empresas de Engenharia e Arquitetura (Sinaenco), como também dos órgãos de fiscalização e controle como Tribunal de Contas do Estado (TCE), Ministério Público Estadual (MPES) e Procuradoria Geral do Estado (PGE) e pretendem, até o final do ano, apresentar a minuta com sugestões.

Membro da Coinfra, o deputado Alexandre Xambinho destacou a contribuição da Comissão. “Mais um passo que damos em contribuição para o Espírito Santo garantir a segurança do capixaba.”

Situação das estruturas

  • Passarela de Jacaraípe: recém-recuperada, já apresenta sinais de deterioração, falta limpeza no entorno com estrutura metálica corroída
  • Ponte de Jacaraípe: ponte em concreto armado, em um meio extremamente agressivo, com desplacamento de concreto que protege o aço, apresentando vários pontos de corrosão da estrutura metálica
  • Ponte entre São Francisco e Vila Bethânia (Cariacica e Viana): Ponte antiga, projetada para suportar pouca carga. Já cedeu mais de 30cm e a estrutura que foi colocada para aparar a estrutura já está comprometida
  • Ponte sobre o Rio Bubu (Porto de Cariacica): Com vigas comprometidas, ausência de guarda-corpos, faz com que pedestre, ciclista e motorista disputem o mesmo espaço, além de ser uma construção antiga
  • Viaduto no Bairro Tabajara (Rodovia do Contorno): Houve impacto de um veículo com a estrutura, causando desplacamento de concreto e envergando a estrutura metálica. Além disso, há desplacamento do guarda-corpo, que pode atingir veículos que transitam pela rodovia
  • Ponte Flodoaldo Borges (Nova Almeida X Fundão): Pontos com armadura exposta e perda de cessão de concreto e ausência de guarda-corpo
  • Ponte Velha de Jacaraípe: Apenas com passagem de pedestres, é uma estrutura antiga, com a base de madeira, com armadura exposta, suportando pouca carga.

Confira os laudos completos aqui

Assessoria de Comunicação

Data de Publicação: quarta-feira, 08 de maio de 2019

LEIA MAIS...

Comissão de Infraestrutura inspeciona acesso à Rodovia Leste-Oeste em Cariacica
Assembleia irá fiscalizar prefeituras que recebem recursos do Fundo para Desigualdades Regionais
Pontes e viadutos de Cariacica e Viana carecem de manutenções preventivas imediatas
Grupo de trabalho vai elaborar normas para execução e fiscalização de obras públicas no Estado